Tailândia Praias



Quando estava pesquisando quais praias conhecer, vi em um dos blogs de viagem, que a Tailândia tem mil praias lindas. E que você vai descobrir duas coisas sobre elas: 1. Todas são imperdíveis; 2. Você não vai conhecer todas.  E esta é a pura verdade. Se engana quem olha no mapa e acha que este é um país pequeno. Além das distâncias serem grandes, a locomoção não é tão fácil quanto parece.
Uma das maiores dificuldades na hora de montar minha viagem à Tailândia foi escolher o que deixar de ver. Este é um destino para se visitar mais de uma vez, pois não há tempo suficiente para tanta beleza. O que eu fiz foi escolher duas das muitas praias imperdíveis e curtir o maior tempo possível nelas.
Como era a minha primeira viagem ao país, escolhi a mais óbvia e, ao meu ver imperdível, Phi Phi e depois pesquisei uma outra que fosse perto e que não me fizesse perder um dia inteiro com o traslado. Ir de um lugar a outro na tailândia é caro, leva tempo e há poucas opções de empresas que fazem o serviço. Você vai perder um dia nesta função de ir de um lugar para o outro. E na minha opinião vale mais escolher poucas praias, mas curti-las ao máximo, do que ficar pulando de uma para a outra, só para dizer que conheceu um monte de lugares.
Chegada a esta conclusão, meu roteiro pelas praias foi o seguinte.
Railay Beach - 3 dias
Maia Bay - sleep aboard -dois dias e uma noite
Phi Phi - 3 dias

Railay Beach

Railay é uma praia que fica em Krabi, mas com acesso apenas por mar. Chegamos de Hanoi, direto no aeroporto de Krabi e contratamos o tranfer do Hotel - melhor decisão das nossas vidas. Uma van nos buscou no aeroporto e nos deixou no porto, lá já havia um barco nos esperando, que nos levou à Railay. Chegando em Railay, um trator nos pegou do barco e deixou na entrada dos fundos do hotel (que vai da praia do leste para a do oeste). Pisando no hotel entramos em um carrinho de golf que nos levou até a recepção. Ufa!!! Imagina ter que fazer tudo isso por conta própria e ainda carregando malas. E o preço foi mais do que justo.

Railay Beach Header


Ficando em Railay, você terá acesso terrestre a três praias: Railay West, Railay East e Phra Nang Bay. Alguns hotéis têm acesso direto a apenas uma delas (maioria), outros a duas delas (caso do meu hotel) ou todas (apenas o hotel Ravasdee). Às outras praias mostradas no mapa, o acesso é feito apenas por barco. Mas se quiser conhecer todas, não se preocupe, há vários passeios que levam até elas.




Railay West - É a menos bonita. É nela que a maioria dos barcos chegam e saem. Só fomos a ela de passagem para chegarmos à praia de Pranang. 
Railay East - É a maior e é nela que pode-se ver o por do sol mais lindo. A entrada principal do nosso hotel era por ela e essa foi a praia mais frequentada por nós, durante a estadia. Apesar de maior não fica tão cheia como a praia de Pra Nang.
Pra Nag - De todas, talvez seja a mais bonita, mas também a mais cheia. Na verdade, todas as três praias são relativamente vazias durante a maior parte do tempo. Mas como acontece em vários outros locais da Tailândia, no meio do dia, chegam vários passeios de Longtail, eles param desembarcam os turistas por 40 ou 60 minutos e depois vão embora. Isso deixa a praia um pouco cheia no horário entre 10 e 15 horas. Não chega a atrapalhar, mas é claro que a praia fica muito mais agradável no começo da manhã e no fim da tarde, por isso era nesses horários que aproveitávamos mais o mar. Nos horários de pico voltávamos ao hotel para ficar um pouco na piscina que ficava de frente para o mar. Em Pra Nang há uma caverna, onde os locar fazem culto à Shiva, que está associado à virilidade, por isso as pessoas depositam no local diversas imagens fálicas, de todos os tamanho - bizarro. No caminho até de Railay East a Pra Nang, você vai ver muitos macacosEles são fofos, mas tenha cuidado se tiver carregando comida, pois eles podem tentar tirá-la de você.

Caso você opte por ficar em um hotel que não tenha acesso a mais de uma praia, você pode visitá-las pegando as trilhas, que ligam umas às outras e que levam no máximo 10 minutos de caminhada. O caminho é todo com muitas árvores e as vezes macacos ao redor.
Pra Nang Bay

O pôr do sol foi um dos motivos que escolhemos ir à Railay Beach. Além de ser uma praia linda, ela é conhecida por ter um por do sol maravilhoso. E a fama é justa. Nossos fins de tarde eram sempre assim: sentados na praia ou na beirada da piscina esperando o sol se pôr.
bolsa de palha emprestada pelo hotel - vem com uma esteira
O hotel escolhido foi o Railay Bay Resort and Spa. Ele tem uma piscina que fica de frente para o mar, que é uma delícia. Você pode pegar toalhas para usar na piscina e o hotel também deixa no quarto uma bolsa de praia com uma esteira para usar na praia. Ela é ótima para quando for conhecer as outras praias da ilha ou para se esticar na praia em frente ao hotel, caso a área da piscina esteja lotada.  O café da manhã é muito farto, com mil opções para os mais variados gostos.  





O hotel é muito bom, mas não é maravilhoso, falta uma certa manutenção. Não há um controle do uso das espreguiçadeiras então algumas pessoas, mais sem educação, acordam cedo para o café da manhã e já marcam lugar. Infelizmente vimos alguns Brasileiro fazendo isto. Estilo o mundo é dos esperto. Um absurdo. Mas sempre dá para sentar, porque, graças a Deus, a maioria das pessoas é educada.

O hotel bom mesmo de lá se chama Ravasdee, mas o preço é muito maior que o preço dos outros. Acabei optando por não ficar nele, mas morri de dor de cotovelo.

Na nossa primeira noite, fomos ao restaurante do hotel, mas não gostamos muito, achei a comida bem mais ou menos. Nos outros dias fomos até um local que concentra vários restaurantes e barzinhos. A comida, além de muito mais gostosa, foi muito mais barata. Na primeira noite fomos ao Kohinoor Indian Restaurant & Pizza que serve comida indiana. AMO comida indiana e foi ótimo para dar um tempo do tempero tailandês, que apesar de delicioso, enjoa um pouco depois de quase 20 dias de viagem. Na segunda noite fomos ao mais elogiado deles Mangrove Restaurant - realmente muito bom.
Lula ao Vinagrete do Mangrove
Maya Bay

Ouvimos muita coisa sobre Maya Bay e em todos os relatos um fator era unanimidade: a quantidade de turistas que chega a este pedaço de praia todos os dias. Impossível tirar uma foto decente. Assim, resolvemos fazer um passeio chamado sleep aboard, que nada mais é do que ir para Maya Bay no meio da tarde passar a noite lá e voltar na manhã do dia seguinte. Como íamos passar 3 dias em Railay e depois iríamos para Phi Phi, aproveitamos o dia entre esta mudança de localidade para ir a Maya Bay, pois desta forma poderíamos aproveitar e economizar uma diária do hotel.

O ponto de partida é Phi Phi, onde está localizado o escritório da Maya Bay Tours, única empresa autorizada a pernoitar na praia. A empresa disponibiliza um local para que você deixe a sua bagagem, já que no barco só é permitido levar uma mochila com o extremamente necessário. 
  A experiência é super válida, pois realmente você vai ver Maya Bay de uma forma que quase ninguém consegue: VAZIA. E desta forma tirar fotos lindas com a praia praticamente deserta. 

Chegamos de ferry a Phi Phi por volta das 11 da manhã e seguimos direto para o escritório da empresa deixar nossas malas. De lá fomos procurar um restaurante para almoçar, pois o passeio só sairia do cais às 15 horas. Depois do almoço ainda tivemos tempo de uma massagem nas pernas e pés feita em uma das inúmeras casas de massagem espalhadas pelas ruas da Vila. 
  Ás 15h pegamos o barco que nos levaria a Maya Bay. No caminho fizemos uma parada em frente a Viking Caves, seguido logo depois por uma sessão de snorkeling. O local do snorkeling é bem rasinho, mas me senti no fundo do mar. Foi o mergulho de snorkeling mais sensacional que fiz. Mil peixes, corais e plantas marinhas em um só lugar, a poucos metros de profundidade. Ficamos lá por volta de uma hora e meia e seguimos para Maya Bay. Chegamos antes do por do sol. Este horário é ótimo, pois é quando a maioria dos barcos de turistas está indo embora.  




Após nadarmos, tirarmos 1 milhão de fotos e explorarmos um pouco a ilha fomos para uma área reservada apenas para o nosso grupo. Teve música, jogos e foi servido o jantar, simples, mas bem gostoso. Depois do jantar o guia organiza umas brincadeiras e serve algumas bebida no balde (uma tradição lá na Tailândia). O primeiro é incluído e se quiser mais tem que pagar. Eu não consegui beber nem o primeiro, por é servido um balde destes de criança cheio, um exagero.

Por volta das 21:00 voltamos para o barco, pois é onde passamos a noite (já ouvi de grupos que dormiram na praia, mas é raro). Às 23:00 demos um mergulho no mar para vermos os planctons. A melhor época para ver planctons é quando a lua está nova, pois quanto mais escuro o mar maior será o brilho dos planctons. Fomos na lua cheia e tivemos aproveitar a sombra do barco para conseguir vê-los, mas mesmo assim foi muito legal.

Sacos de dormir, travesseiros e colchões são fornecidos e você pode escolher o seu local de dormir, dentro ou no convés. Não há cabines individuais e é um esquema beeem rustico. Eu aconselho levar uma duas cangas pois os sacos de dormir não são muito cheirosos rsrsrs. A noite não é das mais bem dormidas, mas é divertido. Conhecemos dois casais de brasileiros, com os quais nos enturmamos. O resto da turma era composta por gente bem jovem de diversos países (Austrália, Inglaterra, EUA, Suécia, etc).



Acordamos bem cedo, na manhã seguinte, para outra viagem de volta para a praia para passar mais um tempo e tirar mais fotos e nadar. De volta ao barco é servido o café da manhã. Após mais uma oportunidade para dar um mergulho rápido era hora de voltar para Phi Phi Don.

Atenção:
Só uma empresa tem esta permissão e com número limitado de pessoas, então é aconselhável reservar com antecedência para evitar decepções.

O barco sai às 15:00 e retorna para o cais até 10h do dia seguinte, ou seja, pega a ilha em seus horários mais vazios. Mas não fica em Maya Bay nos horários de pico do sol. Então se você quer ver a ilha com o sol a pino, volte lá depois em outro passeio. Eu fiquei com preguiça de voltar, mas fiquei um pouco frustrada, pois não peguei a praia com o sol a todo vapor, pois a gente chega quase no horário do por do sol e sai com o a sombra das montanhas na praia. 

Caso não queira encarar uma noite mal dormida com vários jovens animados, rsrsrs. Ou não consiga reservar este passeio com a empresa, mas gostaria de pegar Maya Bay vazia, a sugestão é 


Phi Phi

A vila de Phi Phi fica localizada em Ton Sai Bay. É lá que acontece todo o agito e onde estão a maioria dos bares e restaurantes. Mas vou confessar que, fora minhas breves passagens, enquanto aguardava o passeio para Maya Bay oiu na chegada e saída para o hotel, eu não botei mais os meus pesinhos lá. Primeiro que o meu hotel era espetacular; Segundo que ele tem um restaurante maravilhoso, com bom preço; e Terceiro que ao lado do hotel tinha vilinha de pescadores, que oferecia otimos bares e restaurantes. Então não me animei a pegar um barco e ir até a Vila principal - que além de longe não me atraiu muito. 
 
  Quando botamos os pés em Phi Phi, eu e o meu marido chegamos a uma conclusão: 3 dias aqui é muito pouco, vamos voltar. E na hora de ir embora tivemos certeza disso. Phi Phi é simplesmente de tirar o fôlego, a água do mar é uma coisa de outro mundo. Maya Bay e Railay são ótimas e lindas, mas ainda bem que Phi Phi ficou por último. Como ela, não tem igual. O casal que viajou conosco para Bangkok e Chiang Mai foi para Phi Phi e Ko Samui e disseram a mesma coisa. Ko Samui é bom, mas nem se compara em beleza com Phi Phi.


Quem acompanhou todas as minhas postagens desde o começo da viagem, viu que economizei um pouco no início, ficando em hotéis bons, mas mais simples nas outras cidades, para poder ficar em hotéis melhores nas praias. E em Phi Phi eu escolhi o melhor e valeu cada centavo.


Então, fora o passeio que fiz para Maya Bay - que conta como a estadia em Phi Phi - Não saímos das redondezas do no nosso hotel. Logo no primeiro dia, fizemos amizade com dois casais de brasileiro, super legais e divertidos - um deles, inclusive casou no hotel. Então juntamos a fome com a vontade de comer: tinhamos um hotel lindo, pessoas legais, boa comida, massagem e já era nossa última parada na viagem - então ficamos bem quietinhos, só curtindo.

O hotel escolhido foi o Phi Phi Island Village Beach Resort. Eles têm um serviço de transfer que te busca e te leva até o porto de Phi Phi. E pelo que eu vi no local, o preço do hotel é mais baixo que o oferecido no local. Agora, prepare-se para uma jornada, kkk. Cheguei ao hotel toda molhada, porque o mar estava um pouco agitado e a distância é grande.


Como o hotel é enorme, eles dispõem de carrinhos de golfe para transportar os hóspedes. Usamos o carrinho apenas para chegar e sair do hotel com as malas e ir e voltar do restaurante. Mas você pode solicitar o carrinho sempre que quiser. A piscina é uma delícia, pois fica bem de frente para o mar - era nosso local favorito. O hotel oferece diversos passeios  para outras ilhas da região, inclusive Railay e Maya Bay, mas como falei antes, optei por ficar mais quietinha no hotel.


O hotel fica situado na  Baía de Lo Ba Goa. A maré em frente ao hotel recua muito, então a paisagem muda bastante durante o dia. Mas com a maré cheia ou vazia, a paisagem é sempre linda.

Dentro do hotel, jantamos no Restaurante de comida Tailandesa Ruan Thai, que fica no alto do morro e oferece uma vista linda. O hotel também tem outros dois restaurantes: O Restaurante Marlin, onde tomávamos café da manhã e o Coconut Grill & Bar, onde acontecem as festas dos casamentos realizados no hotel.


Por todo o hotel há placas mostrando a rota de fuga em caso de tsunami e perto da praia há um alarme para alertar caso haja algum problema. O hotel também tem um espaço que foi transformado em memorial às vítimas. Bizarro pensar que um lugar maravilhoso deste viveu dias de horror.

Placa indicando a rota de fuga em caso de tsunami
A única coisa que não fiz no hotel foi a massagem. Não que fosse um absurdo de caro, mas é que na vilinha era tão mais barato que preferia andar até lá para fazer. E em uma das noites jantamos num restaurante também na vilinha. Muito bom, vale apena pela comida e para sair um pouquinho do hotel.


SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Blogger Template Created by pipdig