Islândia - Como Chegar e Hospedagem

Geralmente, as principais despesas de uma viagem são locomoção e hospedagem, por isso é tão importante pesquisar e programar esses gastos com bastante antecedência. Por isso, fiz esse post para contar minhas escolhas e o que aprendi durante a minha viagem à Islândia.

Como chegar à Islândia:


Várias companhias aéreas têm voos regulares para Reykjavík: Lufthansa, Swiss Air, United, etc. Não há vôos diretos do Brasil. Então, como você irá chegar lá, depende muito de onde você mora e se há outros destinos combinados com a Islândia. Sites de busca, como DecolarRome2Rio e Skyscanner são ótimos para encontrar as passagens com melhor preço e horário para a sua viagem.

No meu caso, como estava passando uma temporada em Londres para aperfeiçoar o meu inglês, peguei um voo direto da capital londrina para a Islândia. Há várias companhias que fazem esse trajeto e os voos a partir de Londres são relativamente baratos, pois há muita concorrência, inclusive de companhias de baixo custo como a Wow Air. A Wow Air foi a empresa que escolhi para fazer a minha viagem. Quesito de escolha: preço e horário dos voos. 
Foto: Zak Boca - Unspash

Hospedagem e Locomoção:

A Islândia é um país caro em tudo, alimentação, hospedagem, transporte - TUDO. A única coisa que foge a esse padrão são as atrações, pois a maioria delas é gratuita. Além desse fator, as opções de hospedagem ainda são poucas, então isso encarece ainda mais os preços, principalmente na alta temporada. E não estou falando aqui apenas do valor desembolsado, mas do valor em relação à qualidade da hospedagem. Ou seja, você vai pagar caro para ficar em hotéis relativamente simples.

A grande concentração de hotéis fica na capital Reykjavík, ou próximo ao seu entorno. Então se está planejando fazer todo ou parte do percurso da Ring Road, uma das melhores opções é alugar um trailer ou campervan. Foi o que fizemos e é essa experiência que divido aqui com vocês.

A grande vantagem de se alugar uma campervan, além de ser uma opção barata de hospedagem, é que você pode seguir seu roteiro pela Ring Road com tranquilidade, sem obrigação de parar em determinada localização para dormir. Ou seja, você tem a liberdade de dormir aonde quiser, sem programação prévia. Assim, se gostou muito de um determinado lugar, pode se alongar mais nele e se não gostou pode seguir em frente, com maior liberdade.
Foi assim que fizemos. Programamos, mais ou menos, um roteiro de tudo que gostaríamos de visitar, nos dias que tínhamos por lá,. Mas ele foi apenas uma referência, pois se estávamos cansados parávamos antes do programado e se estávamos dispostos seguíamos em frente. 

Como era verão e os dias eram muito longos, a campervan nos deu a liberdade de escolher o local em que iríamos parar para dormir, sem obrigação de chegar até o local de um hotel específico. Quando sentíamos que o cansaço estava batendo, consultávamos o Google Mapas e encontrávamos a área de camping mais próxima para passarmos a noite. Se estivéssemos de carro normal, seria mais difícil fazer isso, pois como disse anteriormente, não há muitos hotéis disponíveis, e os que existem são bem caros. Além disso, no verão, época em que estávamos viajando, eles estão quase sempre lotados.

Além de alugar uma campervan como fizemos, há também a opção de dormir em barracas nas áreas de camping, vimos muitas pessoas fazendo isso. Alguns tinham alugado carro normal, outros estavam de moto e chegamos a ver até uma família inteira de bicicleta (coragem).

O carro normal é uma opção mais barata que a nossa (campervan), já que seu aluguel é muito mais barato que o da Campervan. Mas acho que com a campervan você estará mais protegido do clima da Islândia, que as vezes pode ser bem hostil, mesmo no verão.

E para quem não está acostumado a frequentar camping, saiba que os campings na Islândia são super organizados. Eles têm banheiro e a maioria deles dispõe de Wi-Fi. Caso não queira procurar um restaurante, nem queira cozinhar na traseira da sua campervan, os campings também oferecem uma área comum para cozinhar.

Para dormir nos campings você paga uma taxa por pessoa. Na maioria deles, esse valor fica em torno de 12 euros.


Escolhendo a Campervan:

Há várias empresas de aluguel de campervan na Islândia. Gostei muito da Go Campers Iceland e da Happy Campers. Os preços são muito parecidos e os valores vão depender muito de qual época do ano você escolheu para a sua viagem. Não preciso nem dizer que no verão, além dos preços serem mais altos, a procura é grande. Então reserve a sua com bastante antecedência. Além dos itens básicos, que já estão incluídos no aluguel do carro, você ainda pode alugar vários equipamentos adicionais para camping.

Você escolhe a campervan de acordo com o número de pessoas que viajam com você. Há campervans a partir de 2 ocupantes até modelos maiores com capacidade para 5 ocupantes.

A nossa campervan foi alugada na Go Campers Iceland. Eles têm um escritório ao lado do aeroporto internacional. Mas cuidado, pois ele tem horário para fechar. Se seu voo for mais tarde, terá que fazer como nós e pegá-la apenas na manhã seguinte.

Confesso que isso foi um pouco inconveniente, pois com escritório fechado, tivemos que pegar um ônibus até Rykjavik e dormir em um hotel, para só na manhã seguinte pegar a Campervan.

Na manhã seguinte, um funcionário da Go Campers Iceland e nos levou até o escritório da empresa, para finalmente pegarmos o carro.

A campervan dispões de uma área de armazenamento que vem com todo o equipamento de cozinha que você precisará para sua viagem, bem como espaço para armazenar sua comida. Próximo ao escritório da Go Campers Iceland, há dois grandes supermercados, onde você pode fazer suas primeiras compras.

Um detalhe importante a ser lembrado é que, se você está planejando viajar fora da temporada de verão, alguns modelos de campervan não vem equipados com um aquecedor que pode ser usado durante a noite. Então fique atento para alugar o melhor modelo para a sua necessidade.

Os equipamentos que normalmente já vêem inclusos no aluguel são:
1. Sacos de dormir ou cobertor
2. Fogareiro à gás
3. Talheres e louça
4. Panelas
5. Almofadas
6. Recipiente de água
7. Colchão

Um item extra importante para uma viagem é um adaptador para carregar seus equipamentos eletrônicos usando o acendedor de cigarro do carro.

Nossa experiência:



Achamos a experiência muito válida. É claro que não se tem o conforto de um hotel, mas as partes positivas superaram as negativas. O carro era novinho e seu tamanho compacto era muito prático e fácil de guiar nas estradas, algumas vezes, estreitas da Islândia. Além de ser mais uma aventura para contarmos, dormir nos campings ainda nos proporcionou uma liberdade que não teríamos, se tivéssemos nos hospedado em hotéis.



A parte ruim foi o frio da noite, mesmo no verão. Aquecíamos o carro antes de dormir, mas no meio da noite estava tudo gelado. Então às vezes passávamos um friozinho, principalmente se precisássemos de ir ao banheiro no meio da noite. A mobilidade dentro da campervan também é um ponto negativo. Como não gostávamos de sair andando de pijama pelo camping, trocávamos de roupa no carro, mas, para isso, tínhamos que fazer um pouco de malabarismo, rsrsrs.  Banheiros coletivos também são uma desvantagem, apesar de achá-los muito limpos e organizados.

Foto:  Sven Tillack - Unsplash
Dirigindo pela Islândia:

Achamos muito fácil dirigir pela Ring Road. Além de ser tudo muito bem sinalizado e contarmos com um GPS, não há muito como se perder pelos caminhos. A Ring Road é basicamente uma grande rodovia em forma de anel e a maioria das atrações está muito perto dela. Quando são necessários, os desvios são realmente pequenos. O único cuidado a se tomar é ficar de olho no clima e na condição das estradas, principalmente se estiver viajando nas épocas de maior frio e neve. Trechos das estradas podem ser fechadas por causa da força dos ventos ou excesso de neve.

O governo Islandês mantém e atualiza o site Vegagerdin, com informações do clima e das condições das principais rodovias. Nele você poderá acompanhar os trechos que estão em boas condições, trechos bloqueados, trechos com camada de gelo, temperatura, velocidade do vento e até mesmo a frequência em que carros passaram na última hora.

Outra questão que merece atenção são as pontes de mão única, há várias delas na Ring Road e não há sinal de pare e siga. O motorista deve estar atento ao trânsito, antes de entrar nelas, para não dar de cara com outro automóvel vindo na direção contrária. Mas não é nada que atrapalhe a viagem, pois essas pontes costumam ser bem curtinhas.


Shuttle Aeroporto - Reykjavik - Aeroporto

Se você também precisar pegar o carro alugado apenas no dia seguinte, ou por algum outro motivo precisar pegar um transporte do aeroporto para Reykjavik ou de Reykjavik para o aeroporto, há empresas como a Reykjavik Excursions e a Gray Line que oferecem esse serviço. O shuttle custa entre 23 e 55 euros por pessoa, dependendo do local em que você será deixado. O aeroporto de Keflavík fica a mais ou menos 45 minutos de distância da Capital. Você pode optar por ser deixado no terminal de ônibus ou na porta do seu hotel. Caso queira ficar direto no hotel, ao chegar ao terminal de ônibus você será realocado para uma van menor, de acordo com o seu destino final. Então no total sua viagem do aeroporto até o hotel deve durar em torno de uma hora. O shuttle pode ser agendado e pago diretamente no site das empresas.

Caso vá fazer o caminho da cidade para o aeroporto, há vários pontos de parada onde você pode aguardar a passagem do ônibus, ou também pode se encaminhar até o terminal.

Nós usamos os serviços da Reykjavík Excursions - FlyBus e achamos muito bom. Nosso vôo era o último do dia e, por causa de um contratempo com uma passageira, atrasamos mais de uma hora. Mas mesmo assim a empresa ficou lá aguardando a chegada dos passageiros.

Hotel em Reykjavík

Kex Hostel

Como já contei no início desse post, nós optamos por alugar uma campervan ao invés de fazer reservas em hotéis. Porém no nosso primeiro e no nosso último dia de viagem, precisamos nos hospedar em hotéis, pois os escritórios das empresas de aluguel de carro não funcionam 24 horas, como em outros locais do mundo. Eles geralmente funcionam em horário comercial, ou seja, das 9h00 às 17h00 (pasmem, rsrs). Enfim, como nosso vôo da chegada era tarde e o da saída era muito cedo, tivemos que dormir em hotéis no primeiro e último dia da viagem.

O hotel escolhido para a primeira noite foi o Kex Hostel, que na verdade, como o nome diz, é um hostel. Escolhemos o Kex, pois chegaríamos bem tarde e ele além de ser bem central ainda é super badaladinho, pois tem um bar bem legal lá dentro. Mas foi pura ilusão, rsrsrs. Na saída do avião uma passageira tropeçou na escada de descida, que ficou mais baixa que o necessário e quebrou a perna. Então ficamos presos no avião até os bombeiros chegarem para socorrê-la, o que demorou quase uma hora, afff. Então até chegarmos em Reykjavik, já estava tudo fechado, inclusive o bar do Kex. Reservamos duas camas em dormitório misto para 6 pessoas, pois literalmente dormiríamos e iríamos embora cedo na manhã seguinte. Então valeu a pena. O banheiro é no corredor, mas é individual, então achei muito bom para o que se propunha. O Kex dispões de quartos duplos também, mas quando fui reservar já estavam todos lotados. Fora isso, há quartos com 4, 6, 8, 10 ou 16 camas. Pagamos 130 euros sem café da manhã. Precinho bem salgado, mas essa é a Islândia. O café da manhã era pago avulso e custava 16 euros por pessoa. Não tomamos o café lá, então não sei dizer se vale a pena o valor. Mas não pense que na rua será mais barato do que que isso. Alimentação na Islândia é uma fortuna.

Foto: booking.com
Foto: booking.com

Hotel Vikings

Já na última noite, optamos por um hotel já no caminho para o aeroporto e que ficava bem próximo ao escritório da Go Campers, assim devolvemos o carro e voltamos a pé mesmo para o hotel.

Por ficar na região de  Hafnarfjordur e mais afastado de Reykjavik, o quarto duplo com banheiro privativo e café da manhã incluído foi mais barato que nosso quarto coletivo no Kex, pagamos 112 euros. O hotel tem o tema viking, inclusive com os funcionários vestidos à caráter, bem interessante.

Dormimos lá apenas uma noite, mas gostamos bastante do hotel. E ele ainda tinha a vantagem de ser bem em frente a uma das paradas do shuttle que nos levou até o aeroporto.

Como nosso voo era muito cedo, acabamos não tomando o café da manhã, então também não vou poder dizer aqui se era bom ou não. Mas próximo do hotel há opções de restaurantes e lanchonetes. E ele fica de frente para o mar, em uma região muito agradável.
Foto: booking.com

Foto: booking.com

Então essa foi a nossa experiência com hotéis e transporte na Islândia. Caso ainda tenha alguma dúvida, é só deixar um comentário, que terei prazer em ajudar.
SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Blogger Template Created by pipdig